Pular para o conteúdo principal

Departamento de Formação de Órgãos Colegiados - DFOC

DFOC
keyboard_arrow_up

DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS

 

Prezados membros de órgãos colegiados de controle social – CMDS e CODETER. É com muita satisfação que o Governo do Estado inicia este projeto de Formação de Órgãos Colegiados, tendo em vista contribuir para o melhor funcionamento dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento Sustentável (CMDS) e dos Colegiados de Desenvolvimento Territorial (CODETER). Este é um compromisso político e de Gestão afim de fortalecer as instâncias participativas e de governança, para uma maior assertividade das Políticas Públicas e o seu controle social.

 

Desde a implementação dos Territórios de Identidade, em 2007, o Governo da Bahia vem apoiando espaços de governança e implementando políticas públicas de franca participação social. Iniciada com os Planos Plurianuais Participativos (PPA-P), a participação social, desde então, passou a ser fomentada e apoiada, com a criação do Conselho Estadual de Desenvolvimento Territorial (CEDETER) e o reforço do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural (CEDRS). A partir daí, iniciativas de reestruturação dos CMDS e de apoio aos CODETER vêm sendo tomadas em consonância com o diálogo permanente entre o Estado, os municípios e a sociedade civil.

 

A SDR foi criada dentro deste princípio e deste diálogo, e sustenta um conjunto de políticas que tomam os CMDS e os CODETER como espaços oficiais de governança. Este programa de formação que hora se inicia está contido nestas iniciativas, respondendo aos interesses da Sociedade, do Governo e dos financiadores. Seu financiamento é realizado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional – CAR, com recursos do Projeto Bahia Produtiva – projeto de desenvolvimento rural apoiado pelo Banco Mundial.

 

Esta iniciativa pretende contribuir para a qualificação da participação social nos rumos das políticas públicas, por meio da Educomunicação. Seu foco está centrado na Governança e pretende atingir o conjunto dos CMDS e CODETER, por meio da qualificação de seus membros. A pedagogia Educom, que une educação e comunicação, está de acordo com o que acreditamos para o desenvolvimento sustentável do rural baiano e com a contemporaneidade e suas tecnologias de comunicação. No que diz respeito aos órgãos colegiados, representa maior capacidade de interação com as políticas públicas, e sua concertação. Esperamos que as políticas sejam reconhecidas, criticadas e avaliadas, e que a sociedade e os poderes públicos possam delas tirar o melhor proveito possível, sempre visando os impactos positivos na transformação das realidades a serem enfrentadas.

 

O Projeto Formativo envolverá 27 Oficinas Presenciais para CMDS e 54 para os CODETER, a ser realizadas em até 2 anos. E formação permanente via redes sociais – site, bloggs, fanpages, fóruns e atividades telepresenciais – videoaulas, videoconferências. Todos terão oportunidade de conhecer esta pedagogia e seus intentos, bem como as informações e os links necessários para um ativismo cidadão em favor de uma ação em rede, articulada e capaz de produzir discurso e informação em escala. A Educomunicação pretende, pois, favorecer o interativismo através das redes sociais e das telepresenças, além do agenciamento formativo dos conteúdos referentes ao desenvolvimento rural na Bahia e suas políticas públicas. O intuito é o de se atingir um conjunto tanto maior de pessoas envolvidas com o sucesso dos seus resultados.

 

Marcelo Rocha

Chefe de Departamento de Órgãos Colegiados – SDR/CAR.

 

 

 

EDUCOMUNICAÇÃO

 

A Educomunicação é o processo educativo envolvendo educação, comunicação, interação, tecnologias, compartilhamento de conhecimento e produção em forma de autorias coletivas. Produzir educação educomunicativa (Educom) é organizar formas de aprender vivendo, criando, questionando de maneira interativa, tendo na autoria seu “motor” de produção de conhecimentos. A Educom promove justamente agenciamentos coletivos permanentes. Isto significa processos formativos nos quais os seres formadores e os que estão em formação estabelecem relações horizontais, sobre a linha de encontros das realidades que se entrelaçam nos territórios. Ao agenciar processos formativos, a Educom desenvolve novos fluxos e potências, favorecendo também as potencialidades que já existem.

 

Os processos formativos transcorrem por meio de oficinas dialógicas, da relação com os problemas concretos dos gestores; dos conselheiros municipais e dos membros dos CODETER; dos territórios e municípios e da leitura crítica destes espaços e destas práticas. A produção da metodologia está centrada nos problemas sociais, nas ações formativas contextualizadas e na produção crítica autoral. Os métodos visam uma aprendizagem ativa de todos os envolvidos no processo de trabalho. Busca-se criar as bases para formação de equipes que, ao compartilharem conceitos, metodologias e novas práticas pedagógicas, assumam a responsabilidade de ser agentes de transformação nos seus espaços de atuação. Na perspectiva educomunicativa, não há processo sem produto. Nem produto sem agenciamento, veiculação, divulgação e exposição.

Público Beneficiário

Técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), parceiros e contratados dos Projetos da CAR, colaboradores dos Territórios de Identidade da Bahia e dos Conselhos Municipais envolvidos com as Políticas Públicas desenvolvidas pela SDR/CAR, outros servidores do Estado, quando em relação com as iniciativas da SDR/CAR.

Área de atuação

Os processos formativos ocorrem nos âmbitos dos acontecimentos, dos fluxos, dos rizomas sociais, em movimentos acentrados, em multiplicidades. Nestes movimentos, geram-se produtos comunicacionais mobilizadores em torno das temáticas das políticas públicas e da função mesma do ser-cidadão-participativo, atingindo os processos produtivos e culturais que ocorrem nos espaços da SDR/CAR e de governança territorial e municipal no campo do desenvolvimento rural. Engendramento e fortalecimento da territorialidade, elemento indispensável à abordagem de desenvolvimento traçado pelo Projeto Bahia Produtiva e entendido como movimento de participação social, desenvolvimento sustentável, gestão compartilhada e descentralizada, planejamento e ação públicos integrados, pelo Estado da Bahia.

Parceiros
REDE EDUCOM NO FOCO DO BANCO MUNDIAL

A equipe do Banco Mundial em sua missão de acompanhamento da produção dos projetos do Bahia Produtiva enalteceu a formação educomunicativa do DFOC e a produção da rede educom dos territórios como um fato novo e relevante.

FOTO 2_2.jpg

A apresentação da rede educom aos profissionais do Banco Mundial, Fátima Amazonas e Daniela Arruda, ocorreu na última quinta-feira, no Centro Administrativo da Bahia, com a presença do diretor do Bahia Produtiva, Fernando Cabral, e técnicos e consultores da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

A rede é um produto das políticas públicas realizadas pela CAR financiadas pelo Banco Mundial e está sendo estruturada a partir de oficinas formativas com os conselheiros dos territórios nos Conselhos de Desenvolvimento Sustentável (CMDS).

APRESENTAÇÃO
O diretor do DFOC, Marcelo Rocha, e o consultor em educomunicação Marcílio Rocha-Ramos, apresentaram aos técnicos do Banco os grafos da rede, programação para sua gestão compartilhado e as etapas dos processos formativos.

A rede está sendo construída através de oficinas de multimídias nos 27 territórios da Bahia. Os conselheiros aprendem a gravar, filmar, entrevistar e agir no online.

As oficinas foram realizadas com mil conselheiros em menos de seis meses. Entre os conselheiros que agora agem como “âncoras” na rede foram eleitos os gestores “animadores” - três por território totalizando 81 administradores.

Dois vídeos de três e sete minutos relatam os esforços das viagens, as criações com reportagens em vídeo, audios, textos, produção de paródias, vinhetas para construção de ecossistemas comunicativos.

MÉTODOS

O consultor fez uma síntese dos três métodos das formações - a roda dialógica (momento das subjetivações com base nas teorias de Paulo Freire), a pesquisa focada (ações conceituais para produção de conteúdo) e a autoração (quando os conselheiros se tornam autores em peças multimidiaticas).

Após presenciar a apresentação, a especialista sênior em desenvolvimento rural do Banco Mundial, Fátima Amazonas (foto), afirmou que o DFOC está fazendo um trabalho “muito bonito, muito bem feito” e elogiou a equipe. “Vocês estão de parabéns”, ressaltou.

POTÊNCIA E VELOCIDADE
No ato da apresentação o consultou fez uma demonstração sobre a potência também informativa da rede, relatando o fluxo da informação.

Marcilio demonstrou a propagação de uma informação em camadas: 1) - Um "card" (informação) parte do DFOC para os 81 Animadores (gestores nos territórios); 2) - Estes distribuem para os cerca de mil Âncoras; 3) - E os Âncoras distribuem para o conjunto dos quase 10 mil conselheiros dos 27 territórios.

REPERCUSSÃO

Fátima Amazonas sugeriu ao diretor do Bahia Produtiva que um dos vídeos da formação educomunicativa do DFOC fosse traduzido para o inglês para incluí-lo entre as mídias de um evento internacional do Banco Mundial do qual vai participar sobre métodos para Desenvolvimento Econômico Local em um Contexto Rural.

Este evento ocorre online, a partir de Washington (EUA), na próxima quarta-feira, dia 12. Ontem mesmo o diretor Fernando Cabral autorizou a tradução do vídeo.

SATISFAÇÃO
“Ficamos muito felizes pela repercussão do nosso trabalho perante os profissionais do Banco Mundial. Vamos continuar firmes avançando na implantação das redes CMDS e CODETER”, afirma o diretor do DFOC, Marcelo Rocha.

Para o Consultor, o grande desafio mesmo é vencer as dúvidas que geralmente os gestores tem com o paradigma educomunicativo, uma vez que este rompe com as culturas centralizadoras.

“Logo que ultrapassamos estes estágios, os gestores passam a ser nossos aliados porque percebem as potencialidades da educomunicação para envolver, motivar e dar soluções para problemas que exigem ações coletivas”, afirma Marcílio.

 

Publicações
Acompanhamento de Projetos

Primeira Anima CODETER - Oficina de formação para Animadores da Rede Educomunicativa de Colegiados de Desenvolvimento Sustentável.

arrow_forward

1ª Anima Codeter Territórios em rede

Rede Educom nos Territórios de Identidade da Bahia.

arrow_forward

Rede Educom Territórios de Identidade

Assista a playlist de vídeos com depoimentos de nossos conselheiros e conselheiras CMDS - Conselho Municipal de Desenvolvimento Sustentável.

arrow_forward

Fala Conselheiros e conselheiras CMDS

Na última semana, de 09 a 12 de julho, em Salvador, capital do estado da Bahia, foi realizado o 1º anima CODETER, uma oficina de formação dos animadores da rede educom.

arrow_forward

BA: Ação inédita, rede ativa nos 27 territórios

Assista ao vídeo institucional sobre o DFOC.

arrow_forward

Vídeo institucional DFOC

O povo quer saber e a turma do Colegiado de Desenvolvimento Territorial de Irecê responde!

arrow_forward

Você sabe o que é CODETER?

A equipe do Banco Mundial em sua missão de acompanhamento da produção dos projetos do Bahia Produtiva enalteceu a formação educomunicativa do DFOC.

arrow_forward

REDE EDUCOM NO FOCO DO BANCO MUNDIAL

Esta equipe chegou muito próximo de um vídeo jornalístico profissional. Com a ancoragem de Andreza, nossa apresentadora educom.

arrow_forward

NADA DE ASSINAR A ATA EM BRANCO