Oficina para operacionalizar fomento produtivo reúne técnicos de ATER em Salvador - CAR

Oficina para operacionalizar fomento produtivo reúne técnicos de ATER em Salvador

28/11/2017

A Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) realiza, nesta terça-feira (28) e quarta-feira (29), a Oficina de Operacionalização do Fomento Produtivo com Entidades de assistência técnica e extensão rural (ATER). O evento integra a programação do Bahia Rural Contemporânea – VIII FEBAFES, que acontece até o próximo domingo (03), no Parque de Exposições de Salvador, em paralelo à 30ª Fenagro.

O Fomento Produtivo beneficiará quatro mil famílias baianas. Serão atendidas três mil mulheres, pela Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR) e mil, pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR/SDR), com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

De acordo com o diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, o fomento está sendo direcionado a famílias de comunidades rurais que estão sendo atendidas pelo serviço de ATER, seja do projeto Bahia Produtiva, seja da Bahiater: “Com o fomento nós vamos unir várias políticas públicas, começando pela base produtiva, com a ATER, e os investimentos, coletivos, por meio dos projetos Bahia Produtiva ou Pró-Semiárido, estarão unidos com os investimentos individuais. Essa articulação de ações irá ajudar a alcançarmos a melhoria da qualidade de vida da população atendida, resultado em um maior impacto das ações”.

Milton Nascimento, representante do MDS, destacou que esse convênio, que atenderá mulheres e jovens, traz melhorias não só para a vida de famílias que não têm oportunidades, mas também movimenta a economia local, porque os recursos circulam no comércio do município. Ele explica que o programa de fomento une duas grandes políticas, a de ATER, destinada a agricultores familiares, povos indígenas e quilombolas, pescadores artesanais e extrativistas e o fomento, com recurso de R$ 2,4 mil por pessoa, do Ministério, por meio do cartão Bolsa-Família ao público com perfil de extrema pobreza: “A ATER e um pequeno projeto produtivo é executado com esse recurso focado na segurança alimentar e autoconsumo dessas famílias que vivem em vulnerabilidade em todo o Brasil”.

Para a superintendente da Bahiater, Célia Watanabe, aliar o fomento à ATER possibilita a obtenção de melhores resultados. Ela observou que existem casos em que mulheres rurais pegaram investimentos individuais e fizeram uma aplicação coletiva que se transformou em uma experiência exitosa: “Temos uma grande responsabilidade de fazer o melhor que nós podemos na execução desse convênio, seja Bahiater, seja CAR, para que esses recursos sejam utilizados da melhor forma possível, e ajude o público beneficiário a ter bons projetos, e possibilitem autonomia e melhores condições de vida”.

O diretor-presidente da Cooperativa de Assessoria Técnica e Educacional para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Cootraf), Edgar Filho, que atua na prestação de serviços de ATER, nos territórios de Identidade Chapada Diamantina, Piemonte do Paraguaçu e Sertão Produtivo, e em 2014, trabalhou com 600 famílias atendidas pelo fomento, ressalta as diversas experiências exitosas.

“Foi bastante inovador. Chegamos a trabalhar com famílias que possuíam renda de até R$ 40 reais, principalmente as mulheres, que hoje já conseguem ter a sua renda e autonomia, tudo por meio do fomento, que ajudou muito aos agricultores familiares, e junto com a assistência técnica e o programa de acesso à água, alavancou a produção desses agricultores e agricultoras, melhorando de vida e a renda, garantindo a segurança alimentar das famílias. Para a Cootraf e o serviço de ATER, o fomento é de extrema importância”, concluiu ele.

Enviar notícia para amigo

PROJETOS

  • 120x90
  • logo120x90-01
  • agua para todos

MULTIMÍDIA

  • VÍDEOS
  • ÁUDIOS
  • FOTOS
  • MATERIA MARCIONILIO SOUZA 060416 JS 0329 [Download]

  •