Pular para o conteúdo principal

Departamento de Formação de Órgãos Colegiados - DFOC

DFOC
keyboard_arrow_up

- BEM VINDXS -

A Secretaria de Desenvolvimento Rural – SDR, através da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional – CAR, está realizando as Oficinas Educomunicativas para Colegiados de Desenvolvimento Territorial – CODETER, nos 27 Territórios de Identidade da Bahia.

Os critérios são simples, devendo respeitar as diferenças e garantir paridade entre elas. Estamos sugerindo considerar para escolha dos participantes: gênero, geração, igualdade racial, capacidade de liderança, habilidade digital. Informamos também que o DFOC precisa da participação das instituições de ensino - IFBAS, IFS, UNIVERSIDADES, EFAS, CETEP, CEEP. Os colegiados que não têm alguma destas instituições no seu corpo representativo, deve abrir vaga para as mesmas.

 

INSCRIÇÕES

Serão 40 vagas para cada CODETER. O DFOC necessita que as instituições públicas e as organizações sociais, representações de seguimentos sociais, participem. O CODETER deverá fazer uma discussão no território equacionar as demandas para que a maior diversidade possível esteja representada.

Quem fará as inscrições dos 40 participantes por território será o coordenador do CODETER, auxiliado pelo ADT/Seplan que deverá preencher todos os dados da ficha de inscrição, eles serão muitos úteis para a continuidade do apoio do Estado aos colegiados.

As oficinas Educomunicativas para CODETER começam em 4 de fevereiro seguindo até 2 de abril de 2019, serão duas equipes em campo, cada uma fazendo dois territórios por semana. Exceção para as datas de fim de período. Vejam calendário.

As despesas com alimentação e hospedagem serão custeadas pela CAR. O transporte está à cargo dos municípios. Solicitamos, com ênfase, que os participantes informem se irão se hospedar (dormir) no local, em pousada/hotel disponibilizada(o) pelo Estado, ou não. Devemos zelar pelo erário público e evitar gastos desnecessários.

A formação seguirá por meios digitais, em rede, telepresencialmente. Muitos serão os produtos com informações, reflexões, e dados importantes para a melhor performance dos CODETER. Uma rede será ativada, para que os CODETER permaneçam, ao nível do território, se relacionando e produzindo suas informações e comunicações.

Isso porque iremos montar a REDE EUCOMUNICATIVA DE CADA TERRITÓRIO. É preciso transformar o território numa Rede Colaborativa.

Segue abaixo o calendário das oficinas presenciais. Este foi feito com base no calendário da escuta territorial do PPA-P, a fim de não haver choques de agenda.

DFOC
Departamento de Formação de Órgãos Colegiados da CAR.

 

Público Beneficiário

Representantes dos Territórios de Identidade de acordo com os critérios e mediação do Colegiado de Desenvolvimento Territorial.

Área de atuação

Esta iniciativa pretende contribuir para a qualificação da participação social nos rumos das políticas públicas, através da Educomunicação. Seu foco está centrado na Governança e pretende atingir o conjunto dos CMDS e CODETER, através da qualificação de seus membros. A pedagogia Educom, que une educação e comunicação, está de acordo com o que acreditamos para o desenvolvimento sustentável do rural baiano e com a contemporaneidade e suas tecnologias de comunicação. No que diz respeito aos órgãos colegiados, representa maior capacidade de interação com as políticas públicas, e sua concertação. Esperamos que as políticas sejam reconhecidas, criticadas e avaliadas, e que a sociedade e os poderes públicos possam delas tirar o melhor proveito possível, sempre visando os impactos positivos na transformação das realidades a serem enfrentadas.

Parceiros
REDE EDUCOM NO FOCO DO BANCO MUNDIAL

A equipe do Banco Mundial em sua missão de acompanhamento da produção dos projetos do Bahia Produtiva enalteceu a formação educomunicativa do DFOC e a produção da rede educom dos territórios como um fato novo e relevante.

FOTO 2_2.jpg

A apresentação da rede educom aos profissionais do Banco Mundial, Fátima Amazonas e Daniela Arruda, ocorreu na última quinta-feira, no Centro Administrativo da Bahia, com a presença do diretor do Bahia Produtiva, Fernando Cabral, e técnicos e consultores da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

A rede é um produto das políticas públicas realizadas pela CAR financiadas pelo Banco Mundial e está sendo estruturada a partir de oficinas formativas com os conselheiros dos territórios nos Conselhos de Desenvolvimento Sustentável (CMDS).

APRESENTAÇÃO
O diretor do DFOC, Marcelo Rocha, e o consultor em educomunicação Marcílio Rocha-Ramos, apresentaram aos técnicos do Banco os grafos da rede, programação para sua gestão compartilhado e as etapas dos processos formativos.

A rede está sendo construída através de oficinas de multimídias nos 27 territórios da Bahia. Os conselheiros aprendem a gravar, filmar, entrevistar e agir no online.

As oficinas foram realizadas com mil conselheiros em menos de seis meses. Entre os conselheiros que agora agem como “âncoras” na rede foram eleitos os gestores “animadores” - três por território totalizando 81 administradores.

Dois vídeos de três e sete minutos relatam os esforços das viagens, as criações com reportagens em vídeo, audios, textos, produção de paródias, vinhetas para construção de ecossistemas comunicativos.

MÉTODOS

O consultor fez uma síntese dos três métodos das formações - a roda dialógica (momento das subjetivações com base nas teorias de Paulo Freire), a pesquisa focada (ações conceituais para produção de conteúdo) e a autoração (quando os conselheiros se tornam autores em peças multimidiaticas).

Após presenciar a apresentação, a especialista sênior em desenvolvimento rural do Banco Mundial, Fátima Amazonas (foto), afirmou que o DFOC está fazendo um trabalho “muito bonito, muito bem feito” e elogiou a equipe. “Vocês estão de parabéns”, ressaltou.

POTÊNCIA E VELOCIDADE
No ato da apresentação o consultou fez uma demonstração sobre a potência também informativa da rede, relatando o fluxo da informação.

Marcilio demonstrou a propagação de uma informação em camadas: 1) - Um "card" (informação) parte do DFOC para os 81 Animadores (gestores nos territórios); 2) - Estes distribuem para os cerca de mil Âncoras; 3) - E os Âncoras distribuem para o conjunto dos quase 10 mil conselheiros dos 27 territórios.

REPERCUSSÃO

Fátima Amazonas sugeriu ao diretor do Bahia Produtiva que um dos vídeos da formação educomunicativa do DFOC fosse traduzido para o inglês para incluí-lo entre as mídias de um evento internacional do Banco Mundial do qual vai participar sobre métodos para Desenvolvimento Econômico Local em um Contexto Rural.

Este evento ocorre online, a partir de Washington (EUA), na próxima quarta-feira, dia 12. Ontem mesmo o diretor Fernando Cabral autorizou a tradução do vídeo.

SATISFAÇÃO
“Ficamos muito felizes pela repercussão do nosso trabalho perante os profissionais do Banco Mundial. Vamos continuar firmes avançando na implantação das redes CMDS e CODETER”, afirma o diretor do DFOC, Marcelo Rocha.

Para o Consultor, o grande desafio mesmo é vencer as dúvidas que geralmente os gestores tem com o paradigma educomunicativo, uma vez que este rompe com as culturas centralizadoras.

“Logo que ultrapassamos estes estágios, os gestores passam a ser nossos aliados porque percebem as potencialidades da educomunicação para envolver, motivar e dar soluções para problemas que exigem ações coletivas”, afirma Marcílio.

 

Publicações